Tesouro Direto com Taxa zero pela MyCAP!

Investir em Tesouro Direto com a MyCAP é muito simples e rápido!

Caso já seja nosso cliente, clique aqui para investir!

Invista Já

O que é tesouro direto?

O Tesouro Direto é um programa de negociação de títulos públicosO título público representa um empréstimo ao governo. Sua taxa de remuneração é pré-determinada, desde que o investimento permaneça até a data de vencimento do título. Embora possua um valor unitário definido, a negociação de títulos públicos pode ser feita de forma fracionária, adequando-se ao perfil e interesses do investidor. para pessoas físicas. Foi iniciado a partir de 2002 pelo governo, em parceria com a B3A B3 (Bolsa Brasil Balcão) representa a Bolsa de Valores brasileira, localizada fisicamente na cidade de São Paulo. O conglomerado originou-se da combinação entre a BM&FBOVESPA e a CETIP..

O intuito do programa é financiar investimentos públicos, auxiliando no crescimento do país. Como forma de incentivo, o investidor recebe o valor aplicado com uma determinada rentabilidade, desde que aguarde até a data de vencimento do título.

Existem diferentes tipos de títulos públicos disponíveis no mercado. A MyCAP, como sua instituição financeira intermediadora, te fornece todas as informações para que você escolha o melhor título de acordo com os seus objetivos e perfil de investimento!

  • Custo

    Custo

    Baixo custo de aquisição e manutenção.

  • Segurança

    Segurança

    Investimentos 100% garantidos pelo Tesouro Nacional.

  • Diversidade

    Diversidade

    Opções variadas para cada perfil de investidor.

  • Liquidez

    Liquidez

    Excelente liquidez do investimento.

  • Facilidade

    Facilidade

    Investimento e tributação de baixa complexidade.

Custos e impostos

Tipos de títulos

Tesouro IPCA +Por estar atrelado ao índice IPCA, este título acompanha a inflação do mercado, protegendo o seu rendimento da perda de poder aquisitivo. Além disso, o investidor ainda conta com uma taxa de juros como parte da sua rentabilidade.
Saiba mais!

Tesouro PrefixadoNeste título não existe variação da taxa de rendimento. Dessa forma, no momento da aplicação, o investidor sabe exatamente a rentabilidade que irá receber, se mantiver o investimento até a data de vencimento do título.
Saiba mais!

com ou sem jurosPara os títulos Tesouro IPCA+ e Tesouro Prefixado, existe a possibilidade do recebimento de juros semestrais.
Saiba mais!

Tesouro SELICEste título está atrelado à taxa básica de juros (SELIC) e também oferece grande proteção ao poder aquisitivo do investidor.
Saiba mais!

Não sabe em qual título investir? Clique AQUI e descubra o mais adequado de acordo com os seus objetivos!

Comparativo

Dê o seu primeiro passo no mercado financeiro!

O Tesouro Direto oferece segurança, simplicidade, alta liquidez e GANHOS SIGNIFICATIVOS!

Para simular seu rendimento em títulos do Tesouro Direto, em comparação com a poupança e fundos de DI Fundos DI são fundos de investimento em renda fixa referenciados em DI, ou seja, buscam replicar a rentabilidade do CDI. Compostos majoritariamente por títulos atrelados a SELIC, normalmente tem desempenho líquido inferior ao título do Tesouro Direto devido à cobrança de taxa de administração por parte da instituição financeira. , clique AQUI

Perguntas Frequentes

Existem valores mínimos e máximos de aplicação e resgate no Tesouro Direto pela MyCAP?

Sim, existem limites. Os títulos podem ser negociados (comprados e vendidos) em frações mínimas de 1% do valor, contanto que essa porcentagem seja maior ou igual a R$30,00. O limite máximo para a compra de títulos é de R$1.000.000,00 por mês. Para o resgate, não há limite máximo.

Como operar tesouro Direto pela MyCAP?

Para operar pelo Tesouro Direto na MyCAP basta ter uma conta ativa. Para abrir sua conta, clique AQUI. Uma vez logado, o cliente deve clicar em “Invista” e depois em “Tesouro Direto”. Depois disso, basta escolher a melhor opção de acordo com o seu perfil de investidor.

Para quem é indicado o investimento em Tesouro Direto pela MyCAP?

O Tesouro Direto é indicado para pessoas físicas que desejam investir com segurança e praticidade em renda fixa, obtendo boa rentabilidade e liquidez, com baixo risco. Ele atende tanto ao pequeno quanto ao grande investidor, permitindo aplicações desde R$30,00 até R$1.000.000,00 por mês.

Quais são os tipos de títulos públicos que o Tesouro Direto disponibiliza? E quais são as particularidades de cada um deles?

Existem diferentes tipos de títulos públicos oferecidos pelo Tesouro Direto, sendo eles: Tesouro IPCA + com juros semestrais, Tesouro IPCA + sem juros semestrais, Tesouro Prefixado com juros semestrais, Tesouro Prefixado sem juros semestrais e Tesouro SELIC.

O Tesouro IPCA (antigo NTN-B) é o título mais seguro de todos. Preserva o seu poder de compra ao longo do tempo, pois a rentabilidade do título acompanha a inflação (IPCA), com o acréscimo da taxa de juros definida na compra do título. Ideal para objetivos de longo prazo como a aposentadoria ou a compra de um imóvel.

O Tesouro Prefixado (antigo LTN) não considera a variação da inflação, então esse título é menos seguro do que os outros. Em caso de alta geral de preços, pode implicar em perda de poder aquisitivo. Em contra partida, se a inflação cair, seu investimento terá um poder de compra maior do que o estimado na época da aquisição do título. É ideal para objetivos de médio prazo, como troca de carro, reforma de um imóvel ou uma viagem.

Os dois títulos acima funcionam com ou sem juros semestrais. Com juros semestrais, a cada seis meses o título paga a rentabilidade do período investido até tal data. As datas são fixas e determinadas pelo Tesouro. A vantagem é ter o dinheiro disponibilizado de forma periódica, facilitando ajustes nos investimentos. A desvantagem é a incidência de imposto de renda sobre essa rentabilidade, diminuindo o efeito de juros compostos. Por outro lado, sem juros semestrais, você só receberá o dinheiro no vencimento ou em um resgate antecipado. A vantagem é ter todo o capital, incluindo a rentabilidade, contribuindo para os juros compostos e maximizando o resultado. A desvantagem é que não há fluxo de pagamentos e, em caso de necessidade emergencial, a única opção é o resgate total ou parcial do título.

O Tesouro SELIC (antigo LFT) é tão seguro quanto o Tesouro IPCA+ pois ele também preserva o seu poder de compra, uma vez que a taxa SELIC costuma acompanhar a inflação. A diferença é que a taxa SELIC é modificada com menos frequência do que o IPCA, fazendo com que a rentabilidade desse título seja mais estável. Ideal para objetivos de longo prazo, como uma reserva para a faculdade dos filhos.

Qual o horário de funcionamento do Tesouro Direto?

As aplicações e resgates poderão ser efetuados todos os dias úteis entre 09h30min e 18h00min. Solicitações de aplicação ou resgate realizadas fora desse horário serão processadas no próximo dia útil.

Para fins de manutenção do portal, todos os dias das 05h00min as 09h30min o sistema do Tesouro fica indisponível.

O Tesouro Nacional poderá suspender as negociações ao longo do dia em caso de grande volatilidade, comprometendo a alta liquidez do investimento.

É possível comprar títulos em Tesouro Direto pela MyCAP sem saldo em conta?

Não. A compra só será aceita pela MyCAP se o cliente tiver saldo em conta.

Em quanto tempo o título aparecerá na minha carteira MyCAP após a compra?

O dinheiro sairá da conta do cliente na MyCAP no mesmo dia, mas o título só aparecerá no extrato no dia útil seguinte.

Em quanto tempo o dinheiro aparecerá na minha carteira MyCAP após o resgate ou o vencimento do título?

O Tesouro registra a saída do título no mesmo dia, mas o dinheiro só estará na conta do cliente no dia útil seguinte.

Como funciona a aplicação de imposto de renda em títulos do Tesouro Direto?

O Imposto de Renda é recolhido na fonte, ou seja, descontado diretamente da sua conta na corretora. O desconto é feito no momento do resgate ou no momento do pagamento do rendimento semestral. A alíquota varia de acordo com o prazo da aplicação, vide tabela abaixo.

PRAZO DA APLICAÇÃO ALÍQUOTA
Até 180 dias (corridos) 22,5%
De 181 a 360 dias 20%
De 361 a 720 dias 17,5%
De 721 dias em diante 15%

Em aplicações efetuadas antes de 31/12/2004 a regra do Imposto de Renda é diferente e poderá ser consultada AQUI

Como funciona a cobrança de IOF em resgates de títulos do Tesouro Direto?

A alíquota de IOF é regressiva para resgates de títulos do Tesouro Direto. Inicia-se em 96% no dia da aplicação e chega a 0% a partir do 30º dia após a aplicação, conforme tabela abaixo.

1 DiaIOF 96% 2 DiaIOF 93% 3 DiaIOF 90% 4 DiaIOF 86% 5 DiaIOF 83% 6 DiaIOF 80% 7 DiaIOF 76% 8 DiaIOF 73% 9 DiaIOF 70% 10 DiaIOF 66%
11 DiaIOF 63% 12 DiaIOF 60% 13 DiaIOF 56% 14 DiaIOF 53% 15 DiaIOF 50% 16 DiaIOF 46% 17 DiaIOF 43% 18 DiaIOF 40% 19 DiaIOF 36% 20 DiaIOF 33%
21 DiaIOF 30% 22 DiaIOF 26% 23 DiaIOF 23% 24 DiaIOF 20% 25 DiaIOF 16% 26 DiaIOF 13% 27 DiaIOF 10% 28 DiaIOF 6% 29 DiaIOF 3% 30 DiaIOF 0%